SANTAMARENSE É SINÔNIMO DE ROMARIA
E
ROMARIA É SINÔNIMO DE SANTAMERENSE

FB_IMG_1624501830669_edited.jpg

“Desde o século passado, já era costume dos santamarenses promoverem peregrinações, em louvor dos santos de suas predileções. Essa prática vinha de seus antepassados, os quais também as praticavam, de acordo com os seus ascendentes portugueses, que trouxeram para o Brasil os costumes existentes na Mãe-Pátria.

As peregrinações eram, até a primeira década deste século, promovidas circunstancialmente, em virtude de promessas que se faziam aos santos, a que os religiosos, na sua boa fé, atribuíam inúmeros milagres. Eis que, em 1920, Cenerino Branco de Araújo, em cumprimento a uma promessa feita a Senhor Bom Jesus de Pirapora, em certo dia do mês de abril daquele ano, em horas matinais, deu início a sua peregrinação a pé, chegando a Basílica de Pirapora à noite do mesmo dia. Era um sacrifício para aqueles que assim procediam, todavia, segundo a crença, conforme a importância das curas alcançadas, seriam as penitências prometidas em maior intensidade. Assim, por alguns anos mais, Cenerino continuou só na extensa caminhada, percorrendo, sob o sol escaldante, a estrada cheia de pó, até que em 1948, tendo organizado uma verdadeira romaria a Basílica de Pirapora, em louvor do Senhor Bom Jesus, tal foi o sucesso das adesões, aumentando sucessivamente, ano a ano, que este ano foi realizada uma das maiores romarias, mesmo porque comemorava se o IV centenário de fundação da cidade de Santo Amaro.”

 

Fonte: Revista Interlagos

Sr. Cenerino Branco de Araújo

O fundador da Romaria dos Cavaleiros do Senhor Bom Jesus de Pirapora de Santo Amaro, Cenerino Branco de Araújo, nasceu em 10 de março de 1904.

Nossa por vinda Centenária tradição “Romaria dos Cavaleiros de Santo Amaro” se deu início, com a peregrinação a cavalo, em 01 de abril de 1920, com um pequeno grupo de jovens, dentre eles nosso fundador com seus recém feitos 16 anos de idade.

Durante 49 anos de sua vida, até 26 de agosto de 1969, Sr Cenerino realizou nossa Romaria de forma ininterrupta. Ciclos de importantes apoiadores e colaboradores, mais ou menos empenhados, sempre foram característicos para o acontecimento anual de nossa Romaria. Ciclos de mais ou menos participantes, sempre foram característicos, mas o fato mais importante é, ela nunca deixou de acontecer porque o real sentido da sua existência a fé, ou mesmo sentimento de manutenção da tradição, moveram romeiros a peregrinar.

Seja com um integrante, seja com um grupo de mil pessoas, percebemos na linha do tempo que o importante é a intenção, a fé inabalável, a manutenção da tradição. Nossa querida Romaria dos Cavaleiros de Santo Amaro não deixará de existir enquanto existir a fé!

 

E a fé tem fim???

 

Que Bom Jesus de Pirapora abençoe a todos nós!!!

FB_IMG_1624501243482.jpg

Por volta do ano de 1944, Sr Cenerino Branco de Araújo com sua esposa Julieta Cavalheiro de Araújo e seus filhos, da esquerda para a direita, Celso, Claudete e Mercedes.

Acervo: Mercedes Fernandes

   Na importante participação dos “Botinas Amarelas” na Revolução Constitucionalista de 1932, Sr Cenerino Branco de Araújo foi motorista do Exército de Santo Amaro!

Acervo: Celso Branco de Araújo “Xerife”

FB_IMG_1624500450041_edited.jpg

Sr Cenerino nasceu em 10/03/1904 e faleceu no dia  26/09/1969, portanto ele iniciou a romaria com seus recém feitos 16 anos de idade. Foram 49 anos de peregrinação.

Adeus Sr Cenerino!

O patrono da Romaria dos Cavaleiros do Senhor Bom Jesus de Pirapora de Santo Amaro desde a sua fundação em 01 de abril de 1920, nos deixa em 1969 e fica como exemplo de fé, tradição e penitência a ser seguido.

Gazeta de Santo Amaro, 11 de outubro de 1969.